Acompanhantes de Luxo.
Buscar Acompanhantes

Conto erotico – A Acompanhante gordinha (parte 2)

Conto erotico – A Acompanhante gordinha (parte 2). Meu nome é Rafael e sou um amante das gordinhas. Vou continuar aqui a história da acompanhante gordinha que eu sai e levei pra minha casa (visto parte 1 do conto).

Depois que eu e a Suzy fizemos a festa no apartamento do meu irmão, eu levei ela até onde tinha pego ela. Parei o carro na frente da casa, ela me deu um beijo e se despediu. Ainda adimirei um pouco a bunda dela quando saiu do carro e entrava na casa.

Logo depois, voltei pra casa e comecei a arrumar tudo o que tinhamos bagunçado. Fiquei em casa o resto da tarde. Mais denoite sai pra lanchar, retornei depois pra casa e fiquei assistindo Netflix de noite, até que recebi uma mensagem no Whatsapp. Era a Suzy. Dizia “Oie amor.” “Eu gostei muito de hoje.” Dizia a mensagem. “Eu tbm. Adorei” eu respondi e ela continuou. “Tava pensando. Sera que daria para a gente passar a noite juntos ai no seu apartamento?” “Eu gostei de você mais do que qualquer outro cliente até então” dizia ela. Eu me excitei todo com a ideia dela dormir comigo aqui e não recusei. “Mas ai daria pra gente transar a noite toda?” Eu perguntei na mensagem. “A noite toda até a gente não aguentar mais” disse ela. Perguntei então quanto seria o pernoite dela e disse que normalmente seria 600, mas ela conversou na casa e disse que faria pra mim por 400 reais, então não pensei duas vezes e aceitei. Ela marcou de ir buscar ela as 22h no mesmo lugar de antes. Então tomei um banho, dei uma arrumada no quarto e me preparei pro segundo round com a Suzy.

Cheguei no lugar e estacionei no mesmo lugar de antes. Desci do carro e a Suzy estava me esperando no portão. “Oi amor” disse ela quando fui chegando. Ela abriu o portão e me convidou pra entrar, disse que ia pegar algumas coisas. O lugar estava vazio dessa vez. Tinha só um atendente no balcão (que provavelmente devia ser o cafetão do lugar), um coroa sentado numa sala com uma garota dançando na frente dele, a Suzy e eu. “Esse aqui que é o lobisomem que eu falei.” Falou ela pra outra garota que estava dançando.

“É ele? Vou querer provar ele depois então.” Falou a garota.

“Tá, mas outra hora porque hoje esse novinho aqui é só meu.” Respondeu ela enquanto me abraçava. A Suzy me levou até um dos quartos e começou a separar as coisas dela pra levar.

“Aquela garota alí é nova aqui. Os coroas adoram ela.” Comentou a Suzy sobre a outra garota.

“Entendi.” Eu respondi.

“Mas sabia que em geral garoto mais novinho prefere ficar comigo?” Comentou ela. “Eles gostam de me fazer de mamãe, sabe por que?” Ela disse.

“Por quê?” Perguntei.

“Porque eles adoram mamar no meus peitos.” Falou ela, e realmente eu adorei mamar aqueles peitos lactantes dela.

“Eu sou das garotas a que ta a mais tempo aqui. E hoje também sou a mais velha” Comentou ela.

“Eu gosto disso. Curto mulher mais experiente.” Disse eu.

“Ai, ‘brigada. E põe experiencia que eu tenho amor. As outras meninas falam que eu sou ‘A Rainha do Cabaré’ haha”. Falou ela com um sorriso no rosto. Eu sorri também.

“Vou só terminar de pegar tudo e vamos amor. Essa noite a gente vai fuder muito.” Falou a Suzy o que só me fez ficar ainda mais duro. Antes de sairmos, ela passou no balcão e pediu duas garrafa de cerveja de 1 litro pra levar e um isqueiro. Eu paguei o atendente no balcão, a Suzy pegou a bolsa dela e eu as garrafas de cerveja dela, ela se despediu dos que ficaram na casa e saimos pelo portão até o carro.

Chegamos no apartamento e a Suzy deixou a bolsa na mesa da sala e colocou uma das garafas na geladeira. Dessa vez ficamos um pouco no sofá da sala antes. A Suzy trouxe uma das garrafas de cerveja e dois copos de chopp e sentou no sofa junto comigo.

“Quer cerveja?” Perguntou ela me oferecendo um dos copos.

“Não obrigado. Eu não bebo.” Respondi.

“Ah tá. Vou tomar direto da garrafa então.” Falou ela enquanto abria a garrafa com o abridor. Ela botou a garrafa na boca e tomou metade da garrafa inteira de uma vez, adimito cheguei a me assustar até. Depois disso, a Suzy tirou a camisa e pediu pra eu desabotuar o sutiã dela. Fiz isso e ela ficou de topless.

“Quer ver algo na TV?” Perguntei.

“Tem canal de sacanagem aberto?” Perguntou ela enquanto tomava mais um gole da garrafa.

“Tem sim.” Respondi enquanto colocava no canal. Quando abriu o canal, apareceu a cena de uma loira fazendo um anal numa cadeira de piscina.

“Eitaaaa, olha só!” Falou ela apontando com a garrafa. “Agora só falta a musica pra ficar que nem motel.” Completou ela.

“Dá pra bota musica também.” Falei eu e fui ligar o som do meu irmão. A Suzy pediu pra tocar My Humps do Black Eyed Peace e coloquei a musica pra tocar. Ela levantou e começou a dançar no ritmo da musica enquanto tirava a mini saia que ela estava. Ela ficou só de calcinha esfregando a bunda em mim e depois ela foi tirando a calcinha na minha frente. Era um verdadeiro strep tease de camarote só pra mim. Eu não resisti e comecei a tirar a roupa também e já queria partir pro abate. Comecei a esfregar o pau naquela bunda enorme dela enquanto ela dançava.

“Uuuuh, hoje é festa a noite toda!” Falou ela enquanto bebia mais um gole da garrafa. Ela me sentou no sofa e começou a rebolar no meu colo pelada. Então ela segurou um dos peitos, apertou o mamilo e vi uma gota de leite saindo.

“Mama nessa teta bebê.” Falou ela. Na hora comecei a chupar a teta dela e senti o gosto do leite na boca. Era uma delicia.

“Quer ir lá pra cama já?” Eu perguntei.

“Pera, deixa eu tomar a cerveja toda primeiro.” Respondeu ela parecendo já começando a ficar com a voz meio tremula. Ela já estava começando a ficar bebada pelo visto. A coisa foi ficando cada vez mais engraçada conforme ela bebia. Quando a Suzy teminou a primeira garrafa, ela pediu pra eu pegar a outra na geladeira. Eu peguei pra ela e começou a tomar direto na garrafa na mesma hora. Depois começamos a nos pegar no sofa mesmo enquanto ela bebia. Ela ficou com um bafo forte de cerveja, mas isso não me incomodou. Depois de alguns minutos, a Suzy já tinha tomado quase toda a garrafa e tinha começado a rir direto e falar de tudo.

“Eu quero meu lobisomem me atacando denovo.” Falou ela rindo com a voz trêmula.

“Ele tá só esperando.” Eu respondi brincando pra ela.

“Segura ele ai que eu to me preparando pra ele.” Respondeu ela. O som foi seguindo a playlist e começou a tocar um funk. A Suzy levantou com a garrafa na mão e disse “Uuuuh, vamo dançar!” enquanto ia rebolando até o chão na minha frente. Eu levantei então e acompanhei ela me esfregando todo. Ela virou o resto da garrafa goela a baixo e já tava fora de si total.

“Posso pegar aquela outra cerveja na geladeira?” Ela perguntou com a voz tremula. Meu irmão tinha deixado um engradado de latinhas de cerveja na geladeira.

“Se aguenta tomar mais?!” Falei surpreso.

“Eu bebo mais que um Impala. Tem que enche o tanque de alcool!” Falou ela balançando a barriga com as mão. Eu estava rindo demais e bem excitado com tudo aquilo e não neguei de pegar as latinhas de cerveja pra ela.

A Suzy bebeu sozinha duas garrafas de um litro mais três latinhas de cerveja e já não tava mais falando coisa com coisa. Falava tipo “Vo trazer as meninas do cabaré tudo pra cá.”, “Hoje vo acabar com tua raça!”, “Vamo meter um filho nessa barriga!”, “Vo te mostrar que as gordinhas fode mais gostoso.” E outras doideiras do tipo. Chamei ela pra irmos pra cama e ela pediu pra ir no banheiro antes. A Suzy já estava tão bebada nessa hora que ao inves de sentar no vazo, ela se agaichou apoiada no e mijou no chão. Eu nem impedi, só ri junto com ela enquanto ela mijava, eu podia limpar depois. Fomos então pro quarto, a Suzy deitou de bruços na e continuava falando um monte de besteira e rindo. Enquanto isso, coloquei a camisinha e me preparei pra colocar nela de quatro. Eu comecei a empurrar o pau na buceta dela até que ela falou. “Não, não. Já foi na buceta. Que no cú agora!” Eu não pensei duas vezes e tirei o pau, passei um pouco de lubrificante envolta, encostei o cú dela e comecei a empurrar pra dentro. Dei umas três ou quatro metidas e o pau sem querer saiu pra fora só que nessa hora a camisinha desemcapou e ficou presa no cú dela.

“Ih, a camisinha saiu. Ficou agarrada no cú.” Falei pra ela. A Suzy passou a mão pra sentir a camisinha e falou “Oh como vo tirar!” Ela empinou a bunda, abriu as nádegas com as mãos e derrepente respirou fundo e prendeu a respiração. Eu fiquei sem entender o que ela estava fazendo. Passou uns segundos e quando eu ia perguntar pra ela *plusssss* ela peidou e a camisinha caiu do cú dela. Eu comecei a rir e ela também, e sim ficou fedendo por um tempo mas foi bem engraçado.

“Agora pode meter denovo. No pelo agora amor.” Falou ela e eu encostei o pau sem a camisinha no cú dela. Então comecei a empurrar no cú dela e era muito bem apertadinho. A sensação de meter no cuzinho dela era muito melhor no pelo. Continuei metendo nela e conforme ela ia apertando me dava mais tesão. Chegou uma hora que eu não consegui mais segurar e gozei dentro do cú dela. Eu dei um rugido e ela abriu a boca e soutou um gemido alto.

“Gozou gostoso amor?” Peguntou ela.

“Ahhh, gozei!” Falei pra ela.

“Senti. Encheu o meu cú de porra.” Disse ela com a voz trêmula. Tirei o pau do cú da Suzy e vi um pouco de porra escorrendo. Ela virou de barriga pra cima, abriu as pernas e começou a tocar uma siririca.

“Agora quero gozar também amor.” Falou ela. Meu pau ainda estava duro, ela segurou ele e puxou na direção da buceta dela pra eu colocar nela agora.

“Ok vou fazer tu gozar agora então.” Disse eu enquanto procurava outro pacote de camisinha. “Cade o pacote de camisinha?” Disse eu procurando.

“Precisa não. Vai no pelo mesmo.” Falou a Suzy puxando meu pau pra botar nela. Fiquei meio que com medo de colocar sem, mas não resisti a tentação de foder ela sem camisinha. Então eu me ajeitei em cima dela e o pau entrou na buceta dela no pelo mesmo. E que buceta quentinha era aquela que a Suzy tinha. Eu senti que não ia gozar logo denovo, mas quiz fazer ela gozar, então decidi soltar meu “lado animal” e comecei a meter nela com força. Conforme eu metia eu via os peitos e a barriga dela balançando e aquilo me dava muito mais tesão. A buceta dela foi apertando cada vez mais e mais até que ela me agarrou com os braços e começou a gemer alto no meu ouvido e virar os olhos dela.

“Ahhhh, gozei gostoso no teu pau novinho.” Falou ela ofegante enquanto se recuperava. Ficamos alguns minutos ainda deitados até nos recuperarmos totalmente.

A Suzy levantou da cama meio cambaleando e foi pro banheiro denovo. Ainda tinha mijo dela espalhado pelo chão.

“Ih, tem mijo no chão aqui.” Falou ela com a voz tremula apoiando na porta.

“Foi você que mijou ai haha.” Eu respondi.

“Ah é hahaha.” Comentou ela rindo. “Vo fazer mais aqui mesmo então.” Falou ela já se agaichando e mijando denovo no châo do banheiro. O cheiro de mijo ficou bem forte agora, mas denovo não me importei. Isso até me excitava e me fazia rir.

“Pega mais cerveja lá que já esvasiei o tanque.” Falou ela enquanto saia do banheiro.

“Quer mais cerveja?” Eu perguntei.

“Queruuuu.” Falou ela fazendo biquinho pra me beijar. Nos beijamos e senti forte o gosto de cerveja na boca da Suzy. Ela sentou no sofá da sala e fui pegar outra lata de cerveja pra ela na geladeira. Dei pra ela que agradeceu e disse com uma voz bem bêbada “Comigo tem duas coisas nunca são demais: cerveja e putaria!” E logo depois começou a tomar a latinha. Fiquei impressionado com o quanto ela bebia e como ela perdia a linha cada vez mais. A Suzy começou até a falar sobre fazer festinha do cabaré no apartamento e eu fui ouvindo as doideras dela.

“A gente chama as meninas tudo pra cá. Tu chama uns colega teu, compra umas cerveja e faz uma orgia gostosa aqui.” E ela foi dizendo cada vez mais doideras e eu rindo e dando linha na pipa.

“Você então curte sexo grupal, né?” Falei eu rindo.

“Porra, sou da putaria a um tempão já. Já fiz tuuuudo. Com cara, com mulher, em grupo, na rua, a porra toda. Por isso já to com dois menor em casa.” Falou ela com voz de bebada.

“Ah é, você é mãe já.” Lembrei disso naquela hora.

“Sou mãe de dois. Só não sei que é os pai haha.” Respondeu ela pra minha surpresa.

“Caramba!” Eu comentei assustado.

“Se assusta não amor. Inclusive acho que já tem mais um a caminho aqui.” Falo ela apontando pra barriga.

“Sério?” Falei.

“Já to a três mês sem descer. Acho que já tem mais um no forno mesmo hahahaha.” Falou ela rindo. “Mas se tá ai dentro já afogou na cerveja.” Continuou ela enquanto virava a latinha toda guela a baixo. Não sabia dizer se ela estava mesmo num inicio de gravides ou se ela só estava falando bobagem por causa da bebida.

Depois de mais de pegação no sofa, e depois que acabou as latas de cerveja, a Suzy foi até a janela e acendeu um cigarro. Ela nem ligou se alguem ia ver ela com os peitos de fora. Já passava das 2 horas da manhã então nos preparamos pra ie deitar na cama. Nos jogamos na cama e rolou mais um pouco de pegação e é claro que rolou um pouco mais de sexo antes de dormir. Como eu já tinha metido nela sem camisinha, nem me preocupei de usar uma a essa altura. Sabia que era arriscado, mas fazer no pelo é um grande feitiche meu. Dessa vez gozei dentro da buceta dela mesmo. Logo depois que isso aconteceu, a Suzy apagau de sono e eu também já estava muito sonolento. Eu deitei do lado dela e domimos de conchinha. Para minha surpresa ela roncava e alto, além de se virar bastante durante o sono. Quando isso acontecia, eu acabava acordando bem brevemente.

Eu acordei de manhã mais ou menos umas 10:30. Eu sentei na cama e sacudir de leve a Suzy para acordar ela. Ela começou a se espriguiçar e soltou um punzinho na hora, o que fez eu e ela rirmos. Nos levantamos da cama e fomos até o banheiro, que ainda tinha o mijo empoçado no chão de ontem. A Suzy disse que não se lembrava de ter feito isso e meio que ficou com vergonha, mas eu disse que ia limpar tudo depois. Ela fez xixi no vazo dessa vez e colocou só a calsinha. Fomos pra sala e ela foi até a janela de topless mesmo e acendeu um cigarro. Fiz um café pra nós dois logo depois fomos pro quarto denovo e fudemos mais uma vez sem camisinha denovo. Depois conversamos mais um pouco.

“Caralho, gostei muito da nossa festinha ontem amor.” Falou ela.

“Eu também. Vou querer isso mais vezes.” Eu respondi.

“Vamo fazer sim. Na proxima a gente pode até trazer mais uma menina lá do cabaré pra fazer um trisal. Tu topa?” Ela perguntou.

“Sim, eu vou adorar.” Respondi todo excitadinho.

“Tu gosta de menina assim que nem eu, né? Gordinha.” Perguntou ela.

“Eu amo. Pra mim são as melhores.” Eu respondi.

“Hmmm. Então, ali na casa não tem assim que nem eu, mas eu tenho uma amiga que tá fazendo programa por fora agora. E ela é assim bem, bem gordinha mesmo.” Falou ela.

“Serio? Gostei!” Disse eu com um sorriso grande no rosto.

“Que bom amor. Vou falar com ela então pra proxima vez vir junto.” Falou a Suzy. Eu já fui planejando quando ia ser a proxima vez, provavelmente quando meu irmão ficasse fora denovo.

“Mas assim, ela é bem gordinha mesmo. Tipo maior que eu até.” Comentou ela.

“Então é perfeita pra mim.” Falei quase que com água na boca.

Depois disso levei a Suzy de carro pro enderesso de um prédio onde ela disse que ia ficar e deixei ela na portaria. Fiquei com o contato dela e fomos nos falando então pra combinar a proxima festinha junto da amiga dela. Mas essa é história pra um outro conto.

Creditos: www.casadoscontos.com.br

Nome
Email
Seu comentário
© 2024 Luxuria